NO ANIVERSÁRIO DA CIDADE, NILDA LUZ ABRE NO PATEO DO COLLEGIO A EXPOSIÇÃO "AMAR E VIVER SÃO PAULO"

Publicado em 10/01/2018
Imagem do Artigo NO ANIVERSÁRIO DA CIDADE, NILDA LUZ ABRE NO PATEO DO COLLEGIO A EXPOSIÇÃO

Paulistana apaixonada pela cidade onde nasceu, palco de toda a sua existência, Nilda Luz presta homenagem a São Paulo com a exposição individual Amar e Viver São Paulo, aberta para visitação a partir de 25 de Janeiro.
        A exposição acontece no Pateo do Collegio. Uma escolha de local significativa: ali nasceu a cidade, há 464 anos, em  25 de janeiro de 1554.
        Sendo a data de aniversário de São Paulo sempre um convite para a redescoberta da cidade, a exposição de Nilda Luz torna-se ainda mais relevante. As três dezenas de pinturas da artista apresentadas em Amar e Viver São Paulo oferecem ao espectador a peculiar visão da artista para diversos recortes da cidade.


Flagrantes da cidade – Para Nilda Luz, a exposição é, acima de tudo, expressão de seu amor pela cidade. Seu objetivo, afirma, é "despertar a cidadania e o amor por São Paulo".
        
Amar e Viver São Paulo reúne 30 obras, cobrindo um arco de tempo de 1984 a 2018. São pinturas de figurativo espontâneo, não acadêmicas, que mesclam um pouco do abstrato com linhas modernas – essa a marca estilística da artista.
        A maior parte das obras são pinturas 
em acrílica, sobre telas de médias e grandes dimensões. Há ainda cinco painéis com pintura sobre tecido (de 250 cm x 180 cm) e dois grandes painéis com pintura sobre lona de caminhão (400 cm x 300 cm) – estes de produção recentíssima, finalizados agora nos primeiros dias deste ano.
        
Em todas as obras Nilda Luz capta flagrantes da cidade. A artista retrata pontos históricos de São Paulo – da Estação da Luz ao Largo de São Bento, da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco ao Palacete Guanabara na Avenida São João. Retrata também cenas da modernidade da metrópole, dos edifícios grandiosos ao Complexo Viário Água Espraiada.
        Em duas telas com o título "Casa da Artista", Nilda Luz deixa de lado a São Paulo dos cartões postais para registrar a singela e bucólica paisagem florida e arborizada que avista das janelas de sua casa-ateliê, no bairro Jardim São Bento.
        Completa a exposição a sugestiva série "Retrospectiva 1984 - Releitura 2004". Nela, quatro pequenas pinturas em óleo sobre tela aparecem incrustadas em painéis de madeira e então se expandem – as pinturas originais ganham continuidade através de pintura em acrílica sobre a madeira.

Entusiasmada e curiosa  
Palavras da artista Nilda Luz sobre seu trabalho:

"Sou uma artista entusiamada e curiosa, que procura ver a beleza das coisas e se propõe a registrar aquilo que vê e sente, razão pela qual o tema urbano é o foco principal de meu trabalho. Mas, antes de tudo, sou uma cidadã paulistana apaixonada pela cidade onde nasci e vivenciei minha própria história. "Amar e Viver São Paulo" convida a olhar a cidade mais atentamente... Ver a imensa riqueza arquitetônica que se esconde em seus antigos edifícios, em seus monumentos, praças e jardins públicos e nas novas e arrojadas construções que surgem a cada dia e aumentam ainda mais a grandiosidade desta cidade."

Representante da alma paulistana – Trecho de "Nilda Luz e a arte do amor à vida", texto do curador Carlos Zibel:

"A mostra de Nilda Luz nos oferece a rara oportunidade de avaliar a trajetória de uma artista madura, segura de sua arte e portadora de qualidade pictórica insofismável. A exposição comporta-se um pouco como restrospectiva de suas últimas investigações pictóricas. Colocam-se na sequência de pelo menos duas fases anteriores onde sua técnica adquire linguagem definitivamente própria e surge, em momentos distintos, tanto uma tendência à abstração quanto à afirmação privilegiada da temática histórica, de raiz. (...) A aproximação recorrente aos temas históricos com a calorosa acolhida que tem recebido desde os anos 1980 consagram Nilda Luz como uma artista representante emérita das paisagens e da alma paulistana. (...) [Em seu trabalho] afloram pinceladas rápidas em emplastos generosos de tinta carregados de emoção e sensualidade sem prejuízo, entretanto, do valor estético e do equilíbrio no conjunto pictórico, marcas presentes nas elegantes telas da artista e um dos excelentes atributos advindos de sua formação em arte clássica e modernista."

A artista  Nilda Luz, nascida em São Paulo, 82 anos completados agora em 6 de Janeiro de 2018, é artista plástica com estudos e formação pela Academia Paulista de Belas Artes, pelo Liceu de Artes e Ofícios e pelo Museu de Arte de São Paulo. É também historiadora, escritora e pesquisadora da cultura gastronômica.
        Desde 1979, participou de mais de cinquenta Salões Oficiais de Arte, obtendo inúmeros prêmios – destacando-se os do 42º e do 46º Salão Paulista de Belas Artes, organizados pelo Governo do Estado de São Paulo. Teve trabalhos seus apresentados em diversas exposições coletivas e realizou várias mostras individuais – entre elas "Olhar São Paulo", "São Paulo no Planalto" e "Retrospectiva 40 anos de Pintura".
        Entre suas obras adquiridas por colecionadores particulares e entidades públicas e privadas estão 6a coleção "Via Sacra", série de quinze telas expostas na igreja da Consolata no Jardim São Bento, a obra "É Madrugada em São Paulo" exposta na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e ainda a tela "Fundação da Cidade", exposta na Cripta do Museu Anchieta como acervo permanente do Pateo do Collegio, em São Paulo. 
        Como escritora-pequisadora lançou os livros "Volta ao Mundo da Gastronomia na cidade de São Paulo", "Brasil - Turismo Gastronômico", "Brasil, campeão de copa e cozinha" e "Viver é Fácil".


SERVIÇO – O Pateo do Collegio fica na Praça Pateo do Collegio nº 2, Centro – Estação Sé do Metrô , tel. 3105-6899.
        A mostra Amar e Viver São Paulo, de Nilda Luz, acontece na Cripta do 
Pateo do Collegio, área de exposições do Museu Anchieta. Duas das obras – os painéis pintados sobre lona de caminhão – não estarão na Cripta, mas no átrio coberto do jardim.
        A mostra tem abertura em 23 de Janeiro de 2018, das 18 às 21 horas. 
        E estará aberta a visitação a partir de quinta-feira, 25 de Janeiro, até 3 de Agosto – de terça-feira a domingo, das 9 às 16h30.
        Ingressos: R$ 8,00. Maiores de 60 anos e aposentados pagam R$ 2,00. A entrada é gratuita para menores de 7 anos e para pessoas com deficiência.
        A 
exposição Amar e Viver São Paulo tem apoio institucional de Pateo do Collegio, Associação Viva o Centro,CNTur-Confederação Nacional do Turismo e Abresi-Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo.

Publicidade

Avianca

Publicidade - TV ABRAJET

Publicidade